segunda-feira, 20 de novembro de 2017

VOZ DE FÁTIMA, VOZ DE DEUS Nº 38


11 de novembro de 2017

Vox túrturis audita est in terra nostra”       
(Cant. II, 12)


O valor da vida contemplativa é pouco conhecido e a queixa de Marta a respeito de Maria não é só de Marta, mas de muitos. Como consagrar à vida contemplativa um tempo que é indispensável para tantas almas por converter e socorrer? Grave questão, cuja resposta parece ser que Marta tem razão e Maria está errada, ao menos nos tempos de hoje.
No entanto, aquilo que disse Nosso Senhor a Marta ao defender Maria não deixa a menor dúvida sobre a questão. É Maria quem faz mais e melhor que Marta.
“Considerem aqui os que são muito ativos e pensam abarcar o mundo com suas pregações e obras exteriores: bem maior proveito trariam à Igreja e maior satisfação dariam a Deus, além do bom exemplo que proporcionariam, se gastassem ao menos a metade do tempo empregado nessas boas obras, em permanecer com Deus na oração.” Escreve São João da Cruz.
Queira Deus conduzir almas no caminho da verdadeira contemplação, pois o verdadeiro contemplativo é raro mesmo entre os contemplativos. Por outro lado, há contemplativos que não vivem externamente retirados do mundo, como o Santo Cura d’Ars e tantos outros entre os quais, sem dúvida alguma, podemos pôr Dom Lefebvre e Dom Antônio de Castro Mayer.
O mais importante é viver na presença de Deus. Contudo, permanece verdadeiro que aquilo que é interior tem mais valor do que aquilo que é exterior e que é mais precioso diante de Deus e de maior proveito para a Igreja um pouquinho de puro amor do que todas as demais obras juntas, como ensina o mesmo São João da Cruz.
Conclusão. Todas as almas devem procurar a vida de oração, sabendo que nela se encontra mais perfeitamente a glória de Deus, o bem da Igreja e o da própria alma.

Pedido de ajuda – Demande d’aide – Request for help – Pedido de ayuda

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário

20 de novembro dia de São Félix de Valois,Confessor.

20/11 Segunda-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos 

 Nasceu em Amiens, França, em 1127 e morreu em 1212, sendo o seu culto aprovado pelo Papa Alexandre VII em 1666. Foi co-fundador da Ordem da Santíssima Trindade (os Frades Trinitários) para o Resgate dos Cativos.No começo do século XII, o distrito de Somme e Aisle na França era governado pelo Conde Raul de Vermandois e de Valois, príncipe da Casa dos Capet e Carlosmagno. Sua esposa Alienor de Champagne era também da casa de Carlosmagno. Em 19 de abril de 1127 ela deu à luz um filho que foi batizado com o nome de Hugo, em homenagem ao seu avô, o filho de Henry I, Rei da França.O jovem Hugo foi enviado para a Abadia de Clairvaux para ser educado. Com 20 anos ele saiu numa cruzada, mais foi incógnito para não ser tratado de modo diferente. Três anos mais tarde ele retornou, viajou pela Itália e foi ser um eremita no norte da Itália ou perto de Clermont d’Oise. Para evitar ser reconhecido ele mudou o nome para Félix e se tornou um sacerdote.Em 1193 ele estava vivendo em extrema solidão perto de Montigny quando recebeu a visita de São João de Matha que, tendo-se diplomado na Universidadede Paris, tornou-se sacerdote, celebrando sua primeira missa em 28 de janeiro de 1193. Eles se tornaram amigos, formando uma pequena comunidade junto com outros discípulos.Um dia em 1197, uma corça branca, que vinha com freqüência beber água numa fonte onde os eremitas tiravam sua água, apareceu com uma cruz vermelha e azul entre os chifres. João lembrou da visão que havia tido durante a sua primeira missa, quando ele viu um anjo vestido de branco com uma cruz vermelha e azul em seu peito. Ele e Félix sabiam que a corça era um sinal de Deus e que eles deveriam seguir em frente com os planos que haviam discutido. Este plano era fundar uma Ordem Religiosa dedicada a resgatar os cativos cristãos que eram capturados pelos Mouros durante as cruzadasJuntos,(Nela, Deus os chamava para lutar pela libertação dos cristãos que sofriam comoescravos nas mãos dos muçulmanos através da formação de uma Ordem religiosa com tal finalidade) eles apresentaram seu plano, em Roma, ao Papa Inocêncio III,O papa, que também tivera a mesma visão, reconheceu os dois como os sacerdotes indicados pela Providência Divina.O qual não só deu sua aprovação, mas deu aos fundadores o hábito da Ordem: branco com uma cruz vermelha e azul. João e Félix retornaram a França e a sua comunidade foi renomeada de Cerfroid em homenagem à corça. Em 17 de dezembro de 1198, o Papa aprova a Regra Própria da nova Ordem.João deixou Cerfroid para começar o trabalho de resgatar os cativos;a luta foi tenebrosa, mas rapidamente recuperaram a liberdade e a condição social de muitos cristãos escravizados. Os padres chegavam a entregar-se como escravos para coseguir realizar plenamente o trabalho de resgate. Assim, cumpria-se a profecia de outra visão de Félix: a de que os padres da Ordem passariam por vexames, perseguições para obter da liberdade e dignidade de cada um dos cristãos escravizados. Félix ficou como Supervisor Geral em Cerfroid, mas mais tarde foi a Paris para estabelecer o hospital da Ordem em Saint Mathurin o qual havia sido doado a eles. Como resultado, membros da Ordem eram popularmente chamados de Mathurinos; os frades trinitários seus transporte mais usado era o asno como testemunho de pobreza.Na noite de 8 de setembro de 1212, embora o frade sacristão de Cerfroid tinha esquecido de bater o sino da manhã (geralmente às 3 da madrugada), Félix desceu à Igreja para cantar o matutino com a comunidade, como de costume, e encontrou a Virgem Maria e anjos, todos eles usando o hábito da Ordem.Alguns dias mais tarde João de Matha retornou a Cerfroid para ver seu velho amigo, mas ficou apenas alguns dias. Em 4 de Novembro de 1212 Félix morreu com a idade de 85 anos.Ele teria sido enterrado em Cerfroid. A grande reputação de sua santidade e de milagres reportados em sua tumba fez com que o Papa Urbano IV o canonizasse em 1 de maio de 1262.


Leitura da Epístola

I Coríntios 4,9-14
9 Porque, ao que parece, Deus nos tem posto a nós, apóstolos, na última classe dos homens, por assim dizer sentenciados à morte, visto que fomos entregues em espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens. 10 Nós, estultos por causa de Cristo; e vós, sábios em Cristo! Nós, fracos; e vós, fortes! Vós, honrados; e nós, desprezados! 11 Até esta hora padecemos fome, sede e nudez. Somos esbofeteados, somos errantes, 12 fatigamo-nos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Insultados, abençoamos; perseguidos, suportamos; caluniados, consolamos! 13 Chegamos a ser como que o lixo do mundo, a escória de todos até agora... 14 Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas admoesto-vos como meus filhos muitos amados.

Sequência do Santo Evangelho
São Lucas 12, 32-34
32 Não temais, pequeno rebanho, porque foi do agrado de vosso Pai dar-vos o Reino. 33 Vendei o que possuís e dai esmolas; fazei para vós bolsas que não se gastam, um tesouro inesgotável nos céus, aonde não chega o ladrão e a traça não o destrói. 34 Pois onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

domingo, 19 de novembro de 2017

Vigésimo Quarto Domingo depois de Pentecostes

19/11 Vigésimo Quarto Domingo depois de Pentecostes

Festa de Segunda Classe
Paramentos Verdes



Leitura da Epístola

I Tessalonicenses  1, 2-10
2Não cessamos de dar graças a Deus por todos vós, e de lembrar-vos em nossas orações.3Com efeito, diante de Deus, nosso Pai, pensamos continuamente nas obras da vossa fé, nos sacrifícios da vossa caridade e na firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, sob o olhar de Deus, nosso Pai.4Sabemos, irmãos amados de Deus, que sois eleitos.5O nosso Evangelho vos foi pregado não somente por palavra, mas também com poder, com o Espírito Santo e com plena convicção. Sabeis o que temos sido entre vós para a vossa salvação.6E vós vos fizestes imitadores nossos e do Senhor, ao receberdes a palavra, apesar das muitas tribulações, com a alegria do Espírito Santo,7de sorte que vos tornastes modelo para todos os fiéis da Macedônia e da Acaia.8Em verdade, partindo de vós, não só ressoou a palavra do Senhor pela Macedônia e Acaia, mas também se propagou a fama de vossa fé em Deus por toda parte, de maneira que não temos necessidade de dizer coisa alguma.9De fato, a nosso respeito, conta-se por toda parte qual foi o acolhimento que da vossa parte tivemos, e como abandonastes os ídolos e vos convertestes a Deus, para servirdes ao Deus vivo e verdadeiro,10e aguardardes dos céus seu Filho que Deus ressuscitou dos mortos, Jesus, que nos livra da ira iminente.

Sequência do Santo Evangelho      

São Mateus 13, 31-35
31Em seguida, propôs-lhes outra parábola: O Reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo.32É esta a menor de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se um arbusto maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos.33Disse-lhes, por fim, esta outra parábola. O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa.34Tudo isto disse Jesus à multidão em forma de parábola. De outro modo não lhe falava,35para que se cumprisse a profecia: Abrirei a boca para ensinar em parábolas; revelarei coisas ocultas desde a criação (Sl 77,2).

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

19 de novembro dia de Santa Isabel da Hungria,Rainha e Viuva.

Santa Isabel da Hungria e da Turíngia, 7 de Julho de 1207 - Marburgo, 17 de Novembro de 1231), foi uma princesa do Reino da Hungria, filha de André II da Hungria e da rainha Gertrudes de Andechs-Meran, descendente da família dos condes de Andechs-Meran. Do lado materno, era sobrinha de Santa Edwiges, tia das santas Cunegundes (Kinga) e Margarida da Hungria e tia-avó de Santa Isabel de Portugal e, do lado paterno, prima de Santa Inês de Praga. Casara-se com o Duque Ludwig da Turíngia, filho do Landgrave Hermano I e de Sofia da Bavária, soberano de um dos feudos mais ricos do Sacro Império Romano-Germânico. O noivado foi realizado no Castelo de Wartburg, em Eisenach, capital do Ducado da Turíngia. Os dois realmente se apaixonaram, viveram uma grande e intensa história de amor, num matrimônio exemplar, e tiveram três filhos. O que fez atrair sobre Isabel os ciúmes de sua sogra, a duquesa Sofia e demais parentes do esposo. Foi fortemente influenciada pela espiritualidade franciscana, cuja ordem surgiu naquela época. Quis viver uma pobreza voluntária total, no que foi desaconselhada pelo seu diretor espiritual, Conrado de Marburgo, que a aconselhou a viver as virtudes do seu estado.Dela conta-se que certa vez, quando levava algumas provisões para os pobres nas dobras de seu manto, encontrou-se com seu marido, que voltava da caça. Espantado por vê-la curvada ao peso de sua carga, ele abriu o manto que ela apertava contra o corpo e nada mais achou do que belas rosas vermelhas e brancas, embora não fosse época de flores. Dizendo-lhe que prosseguisse seu caminho, apanhou uma das rosas, que guardou pelo resto de sua vida. Note-se que da sua sobrinha, Santa Isabel de Aragão, Rainha de Portugal, se conta o mesmo fato Em outra situação, avisado pela mãe de que a esposa havia acolhido um leproso sobre o próprio leito, Ludwig correu para lá, mas os olhos de sua alma se abriram e ele contemplou uma imagem de Cristo Crucificado. Ludwig apaoiava e auxiliava a amada esposa em suas grandes obras de caridade.Porém, tamanha prodigalidade para com os pobres irritava os seus cunhados, os príncipes Henrique e Conrado da Turíngia.A caminho para as cruzadas, acompanhando o imperador Frederico II de quem muito admirava, Ludwig faleceu de peste em Otranto, o que causou enorme dor em Santa Isabel, que recebera a notícia da morte em outubro, após o nascimento da terceira filha, Gertrudes. Esta dor, entretanto, foi ainda acrescida de maiores agruras, quando seus cunhados, livres do temor que nutriam pelo irmão mais velho, expulsaram-na do castelo com seus filhos, em pleno inverno, sem dinheiro e sem mantimentos e ainda proibindo o povo de agasalhá-la e a seus filhos.Resgatada mais tarde por sua tia Matilda, Abadessa do Convento Cisterciense de Ktizingen, Isabel preferiu confiar a seus parentes a educação dos três filhos - Hermano, Sofia e Gertrudes - e quis tomar o hábito da Ordem São Francisco, junto de suas duas fiéis damas de companhia Jutta e Isentrude.Algum tempo depois, entretanto, os cavaleiros que tinham acompanhado o Duque da Turíngia à cruzada voltaram, trazendo seu corpo. Corajosamente enfrentaram os Príncipes, irmãos do duque falecido e exprobaram-lhes a crueldade praticada contra a viúva de seu próprio irmão e contra seus sobrinhos. Os príncipes não resistiram às palavras dos cavaleiros e pediram perdão a Santa Isabel e a restauraram em seus bens e propriedades.Mestre Conrado de Marburgo a orientou numa vida de renúncia (não sem ele mesmo impor-lhe uma rígida e sufocante disciplina que precisou da intervenção dos amigos para ser abrandada) e ela usou parte de sua fortuna para construir um Hospital em honra a São Francisco de Assis em Marburgo. Nesta época de sua vida, a santidade de Isabel manifestou-se de forma extraordinária e seu nome tornou-se famoso em todas as montanhas da Alemanha. Dizia-se que São João Batista vinha lhe trazer pessoalmente a comunhão e que inúmeras vezes ela foi visitada pelo próprio Jesus Cristo e pela Virgem Maria, que a consolavam em seus sofrimentos. Uma de suas amigas depôs no processo de canonização que surpreendeu várias vezes a santa elevada no ar a mais de um metro do chão, enquanto contemplava o Santíssimo Sacramento absorta em êxtase contemplativo.Perguntada certa vez sobre que fim queria dar à herança que lhe pertencia disse: "Minha herança é Jesus Cristo!"Henrique ficou como Regente de ducado durante a menoridade do sobrinho mais velho, o novo Duque soberano, porém Isabel preferiu viver na pobreza absoluta, o que muito desejava, retirou-se primeiro para Eisenach, depois para o Castelo de Pottenstein e, finalmente para uma modesta residência em Marburgo onde às suas expensas mandou construir o Hospital de Marburgo, ingressou na Ordem Terceira Franciscana e aí, prestou assistência direta aos pobres e doentes, onde veio a falecer poucos anos depois, em 1231, com apenas 24 anos. Foi sepultada com grandes honras.Na Alemanha, também seu marido Ludwig e sua filha Gertrudes são honrados como santos.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 18 de novembro de 2017

18 de novembro dia de Dedicação das Basilicas de São Pedro e Sao Paulo

18/11 Sábado
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos


Dedicação das Basílicas de São Pedro e São Paulo e Santo Dionísio 
 http://3.bp.blogspot.com/-Z0euldZi6V8/Tgx5HUcSh_I/AAAAAAAAAWQ/0P6hLgKWsj8/s1600/Peter_and_Paul+Igreja.jpg

   Desde muito a Igreja celebra a comemoração anual da consagração de uma Igreja e por isso notamos no calendário litúrgico a memória da Dedicação das quatro Basílicas maiores construídas em Roma já no século IV: a Basílica de Latrão, sede catedral do Papa, em 9 de novembro; a de Santa Maria Maior, no dia 5 de agosto; e as dos Apóstolos Pedro e Paulo, em 18 de novembro.
Estas Basílicas, primícias das igrejas nomundo, constituem o patrimônio histórico mais precioso da Igreja Latina. A Dedicação da Basílica de São Pedro, construída sobre o túmulo do Apóstolo, era comemorada já no século XII, em 18 de novembro, e esta data foi mantida mesmo com a reconstrução da nova e atual igreja no século XVI. A Basílica de São Paulo Fora dos Muros, foi reedificada várias vezes, tendo sua última consagração em 1854. A liturgia une numa só data a memória da Dedicação das duas Basílicas como sinal de unidade eclesial.


São Dionísio nasceu numa família pagã rica na transição do século II para III d.C. Ele dispendeu a maior parte de sua vida lendo livros e cuidadosamente estudando as tradições heréticas. Ele se converteu ao Cristianismo já numa idade madura e discutiu sua experiência de conversão com Filemon, um presbítero de Sisto II . Ele se converteu após ter recebido uma visão, que ele atribuiu a Deus. Nela, ele foi vigorosamente comandado a estudar as heresias que estavam desafiando a igreja cristã para que pudesse refutá-las através do estudo da doutrina. Após sua conversão, Dionísio se juntou à famosa Escola Catequética de Alexandria e foi um aluno de Orígenes e Héraclas de Alexandria. Mais tarde, Dionísio se tornou presbítero da igreja cristã e sucedeu a Héraclas (que se tornou patriarca) como reitor da Escola Catequética de Alexandria, em 231 d.C. Em seguida, ele foi elevado à posição de patriarca de Alexandria (papa das igrejas que se tornariam, no futuro, a Igreja Copta e da Igreja Ortodoxa de Alexandria) em 248 d.C, sucedendo o já falecido Héraclas .

Leitura da Epístola

Apocalipse 21, 2-5  
2 Eu vi descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, a nova Jerusalém, como uma esposa ornada para o esposo. 3 Ao mesmo tempo, ouvi do trono uma grande voz que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens. Habitará com eles e serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. 4 Enxugará toda lágrima de seus olhos e já não haverá morte, nem luto, nem grito, nem dor, porque passou a primeira condição. 5 Então o que está assentado no trono disse: Eis que eu renovo todas as coisas. Disse ainda: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.

Sequência do Santo Evangelho   
                                                                                             
São Lucas 19, 1-10                                                                           

1 Jesus entrou em Jericó e ia atravessando a cidade. 2 Havia aí um homem muito rico chamado Zaqueu, chefe dos recebedores de impostos. 3 Ele procurava ver quem era Jesus, mas não o conseguia por causa da multidão, porque era de baixa estatura. 4 Ele correu adiande, subiu a um sicômoro para o ver, quando ele passasse por ali. 5 Chegando Jesus àquele lugar e levantando os olhos, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque é preciso que eu fique hoje em tua casa. 6 Ele desceu a toda a pressa e recebeu-o alegremente. 7 Vendo isto, todos murmuravam e diziam: Ele vai hospedar-se em casa de um pecador... 8 Zaqueu, entretanto, de pé diante do Senhor, disse-lhe: Senhor, vou dar a metade dos meus bens aos pobres e, se tiver defraudado alguém, restituirei o quádruplo. 9 Disse-lhe Jesus: Hoje entrou a salvação nesta casa, porquanto também este é filho de Abraão. 10 Pois o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

17 de novembro dia de São Gregório Taumaturgo,Bispo e Confessor

17/11 Sexta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
(213 - 270) Apóstolo cristão grego nascido em Neocaesarea, Pontus Polemoniacus, na Ásia romana do Mar Negro, hoje Niksar, na Turquia, campeão da ortodoxia trinitário da natureza de Deus, controvérsia que dominou o terceiro século, e recebeu o nome de Taumaturgo por causa de seus muitos milagres. De uma família nobre e pagã, de tradição nos estudos das leis, quando era jovem teve de viajar a Cesaréia, na Palestina, para acompanhar uma irmã. Lá conheceu o maior sábio de então, Orígenes, o qual havia posto uma escola de teologia na cidade. Conheceu a escola e dando-se conta das excepcionais qualidades do mestre, renunciou ao seu antigo plano de se dedicar à advocacia e decidiu se consagrar totalmente aos estudos religiosos. Dedicou-se em seguida a leitura de tudo o que os antigos autores havian escrito sobre Deus e aos escritos bíblicos. Convertido ao cristianismo (233) de Orígenes, depois quando terminou seus estudos (238) foi nomeado bispo de Neocesarea, sua terra natal. Após assumir a diocese de Neocesarea do Ponto, iniciou sua incontável série de milagres e, assim, recebeu o sobrenome grego que significava o trabalhador de maravilha, derivado dos seus milagres fenomenais. Célebre por estes milagres, escreveu um Elogio de Orígenes, uma carta canônica e um breve Símbolo da fé Trinitaria. Morreu em Neocaesarea e é festejado em 17 de novembro. Não confundir com o português D. Gregório Taumaturgo de Castelo-Branco3º conde de Vila Nova de Portimão (1600-1662).
 O primeiro Creio no qual ela aparece é do aluno de Orígenes, Gregório Taumaturgo, em sua Ekthesis tes pisteos, escrita entre os anos 260 e 270, onde ele escreve:
" Não há nada criado, nada sujeito um ao outro, na Trindade: não há nada que tenha sido adicionado uma vez que antes nada existia, mas surge depois; por esta razão o Pai nunca esteve sem o Filho, nem o Filho sem o Espírito. Assim a mesma Trindade é imutável e inalterável para sempre" ( P.G., X, 986)


 Leitura da Epístola                                                                                                 

Eclesiástico 44, 16-27  e 45, 3-20
16 Henoc agradou a Deus e foi transportado ao paraíso, para excitar as nações à penitência. 17 Noé foi julgado justo e perfeito, e no tempo da ira tornou-se o elo de reconciliação. 18 Por isso foram deixados alguns na terra, quando veio o dilúvio. 19 Ele foi o depositário das alianças feitas com o mundo, a fim de que ninguém doravante fosse destruído por dilúvio. 20 Abraão é o pai ilustre de uma infinidade de povos. Ninguém lhe foi igual em glória: guardou a lei do Altíssimo, e fez aliança com ele. 21 O Senhor marcou essa aliança em sua carne; na provação, mostrou-se fiel. 22 Por isso jurou Deus que o havia de glorificar na sua raça, e prometeu que ele cresceria como o pó da terra. 23 Prometeu-lhe que exaltaria sua raça como as estrelas, e que seu quinhão de herança se estenderia de um mar a outro: desde o rio até as extremidades da terra. 24 Ele fez o mesmo com Isaac, por causa de seu pai, Abraão. 25 O Senhor deu-lhe a bênção de todas as nações, e confirmou sua aliança sobre a cabeça de Jacó. 26 Distinguiu-o com suas bênçãos, deu-lhe a herança, e repartiu-a entre as doze tribos. 27 Conservou-lhe homens cheios de misericórdia, que encontraram graça aos olhos de toda carne.3 Glorificou-o na presença dos reis, prescreveu-lhe suas ordens diante do seu povo, e mostrou-lhe a sua glória. 4 Santificou-o pela sua fé e mansidão, escolheu-o entre todos os homens. 5 Pois (Deus) atendeu-o, ouviu sua voz e o introduziu na nuvem. 6 Deu-lhe seus preceitos perante (seu povo) e a lei da vida e da ciência, para ensinar a Jacó sua aliança e a Israel seus decretos. 7 Exaltou seu irmão Aarão, semelhante a ele, da tribo de Levi. 8 Fez com ele uma aliança eterna, deu-lhe o sacerdócio do seu povo, e cumulou-o de felicidade e de glória. 9 Adornou-o com um cinto de honra, revestiu-o de um manto de glória, coroou-o com todo esse aparato majestoso. 10 Deu-lhe a longa túnica, a túnica inferior e o efod, cujas bordas eram ornadas de numerosas campainhas, 11 que deviam retinir, quando ele andasse, e se ouvisse o seu som no templo, para advertir os filhos de seu povo. 12 Deu-lhe uma túnica santa, tecida de ouro, de pedras preciosas e de púrpura, obra de um homem sábio, dotado de juízo e de verdade. 13 Era uma obra de artista, de fio de escarlate, com doze pedras preciosas engastadas no ouro, gravadas pelo trabalho do lapidador, em memória das doze tribos de Israel. 14 Sobre sua tiara colocou uma coroa de ouro, onde estava gravado o cunho da santidade, da glória e da honra; era uma obra majestosa, adorno que encantava os olhos. 15 Nunca antes dele houve coisa tão magnífica, desde o princípio do mundo. 16 Nenhum estranho dele se revestiu, mas somente os seus filhos, e os filhos de seus filhos no decorrer dos tempos. 17 Os sacrifícios foram diariamente consumidos pelo fogo. 18 Moisés o investiu e o ungiu com o óleo santo. 19 Deus fez com ele e com sua raça uma aliança eterna, que durará tanto quanto os dias do céu, para exercer o sacerdócio, para cantar os louvores do Senhor, e abençoar solenemente o seu povo em seu nome. 20 Escolheu-o entre todos os viventes para oferecer a Deus o sacrifício, o incenso e o perfume da lembrança, e para fazer a expiação em favor do seu povo.

Sequência do Santo Evangelho


São Marcos 11, 22-24 
22 Respondeu-lhes Jesus: "Tende fé em Deus. 23 Em verdade vos declaro: todo o que disser a este monte: Levanta-te e lança-te ao mar, se não duvidar no seu coração, mas acreditar que sucederá tudo o que disser, obterá esse milagre. 24 Por isso vos digo: tudo o que pedirdes na oração, crede que o tendes recebido, e ser-vos-á dado. 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

HOLOCAUSTO A MAIOR MENTIRA DO SECULO XX ?

Sim.
Para protestante Anderson é.
Veja este vídeo o porque.
Nos perguntamos por que cada vez mais muitas pessoas se levantando contra as historias que nos são contadas na escolas, na TV e no cinemas.
Porque será!
Será que estas, tal historias são tão mal contadas que ficam brechas para questionamento.O Anderson questionou; seus argumento não são historias de "teoria de conspiração" são argumentos sérios. Vemos que não será o primeiro a questionar e nem será o ultimo. 
 Vimos este mesmo questionamento a anos atrás com Monsenhor W. que no caso dele foi atacado pela mídia e expulso de um pais.Por questionar tal historia. 

Anderson não esta nas mídias nem sendo atacado como anti-semita nem expulso de um país e não foi processado.

Por que Anderson não foi alvo?
Algo também a se questionar.

 A elite escolhe um alvo que quer para atacar!
Por que será?   
PORQUE É CATÓLICO.E ELES SÃO ATI-CATÓLICOS?
Algo a se questionar.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

16 de novembro dia da Santa Gertrudes a Grande

16/11 Quinta-feira
 Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
Santa Gertrudes de Helfta (ou Santa Gertrudes a Grande) foi uma beneditina, mística e teóloga alemã. Nasceu em 6 de Janeiro de 1256, em Eisleben (Alemanha). Seus pais, confiaram-na com  5 anos de idade ao convento de Rodelsdorf. Ingressada neste monastério de Santa Maria em Helfta, sob a direção da abadessa Gertrudes de Hackeborn. Alguns referem-se ao monastério como Cisterciense, pois foi fundado por sete irmãs da comunidade de Halberstadt. Gertrudes dedicou-se aos estudos, tornando-se especialista em literatura e filosofia. Depois experimentou a conversão a Deus e iniciou uma caminhada de perfeição na vida religiosa, voltando seus talentos para o estudo das escrituras e teologia. Produziu numerosos textos, mas somente dois deles: Revelações do Amor Divino, parcialmente escrito com outras monjas da comunidade, e Exercícios Espirituais, permanecem conhecidos até. Teve várias experiências místicas, incluindo uma visão de Jesus, convidando-a a repousar sua cabeça em seu peito para ouvir seu coração batendo no compasso do divino amor.Morreu em Helfta, Saxônia, em torno de 1302. Sua festa é celebrada em 16 ou 17 de Novembro, mas a data exata confunde-se com os registros da abadessa Gertrudes. Foi canonizada pelo Papa Clemente XII no ano de 1677.Nosso Senhor disse a Santa Gertrudes que a seguinte oração libertaria mil (1000) almas do Purgatório (por dia*) cada vez que fosse rezada. Esta oração foi estendida também aos pecadores ainda em vida:                              
Eterno Pai, eu Vos ofereço o preciosíssimo Sangue do Vosso Divino Filho Jesus, em união com todas as Santas Missas que hoje são celebradas em todo o mundo, por todas as santas almas do Purgatório, pelos pecadores em todos os lugares, pelos pecadores da Santa Igreja universal, pelos de minha casa e meus vizinhos. Amem!                                                                                                                    
Foi canonizada pelo Papa Clemente XII no ano de 1677.

 Leitura da Epístola

II Coríntios 10,17-18 e Coríntios 11,1-2
17Ora, quem se gloria, glorie-se no Senhor.18Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.1Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me.2Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.


Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 25, 1-13
1Então o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo.2Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes.3Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo.4As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas.5Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram.6No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro.7E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas.8As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando.9As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós.10Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta.11Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos!12Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço!13Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DXXXIX (539) (11 de novembro de 2017)

 
 
 
A Providência manteve a Fraternidade em segurança?
Ao bloquear muitas tentativas de se juntar a Roma!


Os leitores desses "Comentários" não são de modo nenhum favoráveis à crítica das palavras e ações do QG de Menzingen da Neofraternidade Sacerdotal São Pio X. No entanto, há muitos que veem que assim como o Arcebispo Lefebvre estava, para o bem da Igreja Católica, plenamente justificado ao tomar sua frutuosa posição contra o naufrágio do Concílio Vaticano II, assim está-se hoje plenamente justificado, pela mesma salvação das almas, a criticar em público o deslize dessa Neofraternidade para os braços do clero da Roma conciliar. A edição de junho do jornal interno de Menzingen para os sacerdotes da Fraternidade, "Cor Unum", publicou outra dura justificativa para esse deslize. Menzingen é obstinado. Menzingen deve ser corrigido, em público.

Segue em itálico um resumo fiel de alguns dos principais argumentos, que podem ser verificados (em francês) na internet, no site Résistance catholique francofone :: Cor Unum juin 2017.

Dom Lefebvre fez com que as relações da Fraternidade com Roma estejam reservadas somente ao Superior Geral (SG).

Isto se deu porque ele sabia que não poderia confiar que os sacerdotes sob sua autoridade entendessem a extrema necessidade de prudência para lidar com os oficiais romanos. O presente SG prova o quão certo ele estava.

O Capítulo Geral de 2006 autorizou as autoridades da Fraternidade a expulsarem qualquer sacerdote que discordasse de suas políticas em público – "Este aviso deve ser levado a sério".

Foi assim que Paulo VI "expulsou" Dom Lefebvre. Será que Menzingen percebe a quem está imitando? E quanto aos sacerdotes que votaram em 2006, será que previram aonde levaria essa autorização para tais expulsões?

Não importa quão bons sejam os argumentos discordantes, a desacordo público sempre prejudica o bem comum.

Dom Lefebvre prejudicou o (verdadeiro) bem comum da Igreja por discordar durante duas décadas das autoridades? A verdade é a suprema medida de autoridade, especialmente na Igreja Católica, e não o contrário!

Dom Lefebvre salvou a Igreja ao formar sacerdotes de acordo com a Tradição Católica.

Não exatamente. Formar bons sacerdotes foi sua maneira de salvar a Fé Católica. Mas os sacerdotes que agora estão sendo formados por Menzingen para acompanhar os Romanos conciliares correm o risco de não salvar nem a Fé nem a Igreja.

O Arcebispo sempre reconheceu, e queria que os sacerdotes da Fraternidade reconhecessem, as autoridades da Igreja, tanto antes como depois de consagrar os quatro bispos em 1988.

Sim, mas em 1988, depois que os romanos demonstraram de uma vez por todas que não guardariam da Fé, sua atitude em relação a eles mudou radicalmente: "Até agora, a diplomacia; mas, a partir de agora, a doutrina", disse ele, como Menzingen bem sabe; mas Menzingen simplesmente não vê a importância da doutrina como o via o Arcebispo.

Exatamente. Os dissidentes de Menzingen estão fazendo de questões de prudência, assuntos de Fé.

Não. Submeter católicos crentes aos Romanos Conciliares – ou seja, descrentes –, é diretamente uma questão de Fé.

Mas como esses romanos poderão converter-se se os católicos crentes da Fraternidade recusarem-se qualquer contato com eles?

Como os católicos podem conservar a Fé se estiverem submetidos a modernistas contagiosos, ainda mais se são inconscientemente perigosos?

Mas nem tudo na Igreja oficial de hoje é Conciliar. Isto inclui os conservadores, que gostam de nós.

Mas os conservadores não têm poder. Todo o poder em Roma está nas mãos dos maçons, que são inimigos amargos e resolutos da Tradição Católica, da Igreja de Nosso Senhor, de Nosso Senhor e de Deus. E tudo na Igreja oficial está sendo levado finalmente na direção Conciliar, especialmente pelo Papa Francisco.
 
Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

15 de novembro dia de Santo Alberto Magno, Bispo,Confessor e Doutor

15/11 Quarta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
  
  Santo Alberto Magno  Albrecht von Bollstädt  (latim: Albertus Magnus)nasceu por volta de 1206, em Laningen, na Suábia (atual Alemanha), e morreu a 15 de novembro de 1280, em Colónia. Monge dominicano desde os 17 anos em Pádua. Em 1240 é professor na Universidade de Paris e depois em Colónia. É bispo de Ratisbona, entre 1257 e 1260, e membro do Concílio de Lyon. Foi mestre de S. Tomás de Aquino.Santo Alberto Magno é conhecido sobretudo como filósofo e teólogo, mas dedicou-se também à ciência defender o cristianismo do averroísmo (que considerava um aristotelismo arabizado) e esta sua preocupação leva-o a procurar subordinar o aristotelismo à fé cristã, sendo, no entanto um estudioso profundo da obra de Aristóteles, o qual seguiu em muitos aspetos.  Alberto foi muito influenciado pelas posições assumidas por Avicena.Santo Alberto Magno não se limitou a estudar a obra de Aristóteles, tratou de a recriar com a sua própria experiência e observação.
Alberto Magno não foi apenas um filósofo, foi também um místico que se situou entre a filosofia aristotélica e a mística Dionísio, o Areopagita. É neste âmbito que Alberto defende que a teologia deve servir para preparar a mística. Na mesma linha de Dionísio, atribui uma grande importância à teologia negativa (de Deus só podemos dizer aquilo que não é). A alma deve-se purificar asceticamente para ser iluminada por uma "luz angélica" que, não sendo Deus, procede de Deus, embora nesta vida o homem não veja Deus, mas possa apenas dEle receber sinais. Esta preparação e purificação da alma deve levar à experiência mística de Deus, inserindo esses conhecimentos na sua busca da santidade e do equilíbrio entre fé e razão; sua obra escrita está contida em 22 grossos volumes.No capítulo provincial da Ordem no ano de 1254, em Worms, Frei Alberto foi eleito provincial da província alemã dos dominicanos. Além da Alemanha, abarcava esta também a Holanda, Flandres e Áustria. Viajando sempre a pé e mendigando o alimento e a pousada, ele visitou todos os conventos sob sua jurisdição. Dois anos mais tarde, chamado pelo Papa Alexandre IV, foi a Agnani, na Itália, onde refutou Guilherme do Santo-Amor, professor da Universidade de Paris, que pregava contra as Ordens mendicantes.Em Colônia, fundou o Convento do Paraíso, para as filhas da nobreza. Enquanto isso, rezava, estudava e ensinava.


 Leitura da Epístola                                                                                                    
II Carta Timóteo 4, 1-8
1. Eu te conjuro em presença de Deus e de Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, por sua aparição e por seu Reino:2. prega a palavra, insiste oportuna e importunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência e empenho de instruir.3. Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si.4. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas.5. Tu, porém, sê prudente em tudo, paciente nos sofrimentos, cumpre a missão de pregador do Evangelho, consagra-te ao teu ministério.6. Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima.7. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. 8. Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição.
 Sequência do Santo Evangelho


São Mateus 5, 13-19

13. Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens.14. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha15. nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa.16. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.

17. Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição.18. Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.19. Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.
    



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

terça-feira, 14 de novembro de 2017

14 de novembro dia de São Josafat, Bispo e Mártir

14/11 Terça-feira
 Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos
  Nascido em terras da Volinia, o pequeno João (nome de batismo) foi educado no seio de uma família devota, a mãe seguidamente o levava para as orações na Igreja, certa vez parado diante do crucifixo, João rezava tão sinceramente que lhe apareceu uma fagulha de luz e caiu em seu coração, fagulha que nunca se apagou e cada dia crescia para melhor servir a Deus e a Igreja. 
Com 24 anos de idade, ingressa no mosteiro basiliano da Ssma. Trindade em Vilnius, e neste mesmo local no dia do vestimento do hábito monástico, ele recebeu o nome de Josafat. Desde o inicio da vida no mosteiro, Josafat levava uma vida tão agradável a Deus que influenciava a todos. Não tendo condutores responsáveis e nem bons exemplos, pois naquela época não havia disciplina nos mosteiros, Josafat voltou-se aos santos livros, para neles encontrar para si prescrições para o caminho da santidade. Sob a iluminação divina ele começou a conduzir a vida monástica de acordo com as regras de São Basilio, assim como praticavam os monges mais antigos. O exemplo de Josafat em pouco tempo despertou outros jovens que desejavam conduzir a sua vida segundo o seu modelo. Entre eles estava um jovem cursado em teologia, Velamino Rutskyj. Este, mais tarde, junto com Josafat, tornou-se renovador da Ordem Basiliana. Em 1609, Josafat foi ordenado sacerdote. Em 1613, faleceu o metropolita Ipátio Pótio, no seu lugar, para assumir o cargo de metropolita, foi escolhido Velamino Rutskyj, e Josafat tornou-se superior do mosteiro da Ssma. Trindade. Aqui já havia aproximadamente 50 novos monges. De toda a sua alma, Josafat dedicou-se ao trabalho no mosteiro e fora dele. Ensinava o povo, confessava, e incentivava para a união com o representante de Cristo, o Papa.
Em 12 de novembro de 1617, o metropolita Rutskyj, ordenou-o bispo de Polósk. Agora o seu trabalho, e dedicação em favor das almas não tinha mais limites. Seu lema e chave de toda a sua ação era: “Que todos sejam um”. Juntamente com a sua ação pastoral, Josafat levava uma vida inteiramente monacal, na solidão e em oração.
Por essa santidade e sacrifício em favor da santa união, aqueles que eram contra a união, odiavam cada vez mais Josafat e juravam de morte. Ele, no entanto, não diminuía a sua aplicação,mas se dispunha ao martírio, decidido a entregar a sua vida pela união. E isto aconteceu no dia 12 de novembro de 1623. Quando Josafat estava em Vetebsk, em visita aos seus fiéis, aqueles que eram contra sua atitude, avançaram na vestimenta episcopal e começaram a agredir os servos. Então Josafat saiu de sua cela e disse: “Por que agridem os servos inocentes? Se tem algo contra mim, estou aqui”. Então um dos agressores atacou, e com um machado partiu a cabeça de Josafat. Caindo no chão coberto de sangue, ele ergueu a mão para abençoar os assassinos, mas um deles atirou com uma pistola, acabando assim com a vida do mártir. Em seguida arrastaram-no para o pátio, e ali maltratavam o corpo de forma diabólica: batiam, chutavam, cuspiam, arrancavam os cabelos e barba, por fim arrastaram-no para uma montanha e de lá jogaram o corpo no rio Dvenó. Depois de alguns dias os fiéis encontraram o seu corpo. Uma clareira indicava onde estava o cadáver.
Encontrado o corpo, os fiéis com muito respeito levaram-no para Polósk, onde ficou exposto por alguns meses em culto público. Desde o inicio, ao lado do corpo do santo aconteciam milagres. Era certamente um sinal de Deus de sua santidade. No dia 29 de junho de 1867, ele foi elevado ao Altar dos Santos da Igreja de Cristo, pelo Papa Pio IX.
Hoje o corpo de São Josafat repousa na Basílica de São Pedro, sob o altar de São Basílio, onde permanece incorruptível.
 São Josafat para os fiéis da Igreja Ucraniana Católica, é uma festa de um santo ucraniano, festa de um grande apóstolo e mártir pela fé e pela unidade dos cristãos.
 São Josafat foi o primeiro Santo a ser canonizado dentro da Igreja Ucraniana Católica.

Leitura da Epístola 


Hebreus 5, 1-6   

1 Em verdade, todo pontífice é escolhido entre os homens e constituído a favor dos homens como mediador nas coisas que dizem respeito a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. 2 Sabe compadecer-se dos que estão na ignorância e no erro, porque também ele está cercado de fraqueza. 3 Por isso, ele deve oferecer sacrifícios tanto pelos próprios pecados quanto pelos pecados do povo. 4 Ninguém se apropria desta honra, senão somente aquele que é chamado por Deus, como Aarão. 5 Assim também Cristo não se atribuiu a si mesmo a glória de ser pontífice. Esta lhe foi dada por aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei (Sl 2,7), 6 como também diz em outra passagem: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedec (Sl 109,4).



Sequência do Santo Evangelho

São João 10, 11-16
11 Eu sou o bom pastor. O bom pastor expõe a sua vida pelas ovelhas. 12 O mercenário, porém, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, quando vê que o lobo vem vindo, abandona as ovelhas e foge; o lobo rouba e dispersa as ovelhas. 13 O mercenário, porém, foge, porque é mercenário e não se importa com as ovelhas. 14 Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem a mim, 15 como meu Pai me conhece e eu conheço o Pai. Dou a minha vida pelas minhas ovelhas. 16 Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco. Preciso conduzi-las também, e ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor.
 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.